Conecte-se conosco

Amazonas

Com números negativos na Segurança Pública, Wilson Lima elogia e dá folga de 8 dias para chefe da Casa Militar

O Decreto designa o major Laércio Jandir Arndt, secretário executivo da Casa Militar, para substituir o comandante, durante a folga.

Com números negativos e graves problemas na Segurança Pública do Estado, o governador do Amazonas, Wilson Lima (UB) assinou e publicou Decreto, no último dia 1º de Agosto, elogiando e concedendo 8 dias de dispensa chefe da Casa Militar do Estado (PM-AM), coronel Fabiano Machado Bó. O Decreto designa o major Laércio Jandir Arndt, secretário executivo da Casa Militar, para substituí-lo durante a folga.

O elogio do governador ao comandante da PM vem no momento em que a Segurança Pública do Estado enfrenta um dos seus piores momentos, com aumento em quase todos os crimes e Manaus está no ranking das cidades mais perigosas do mundo em 2022, no índice de taxa de homicídios por 100 mil habitantes, de acordo com a Statista, empresa alemã especializada em dados de mercado e consumidores.

No ano passado, após registrar um aumento de 54% no número de assassinatos, o Amazonas se tornou o estado com maior taxa de mortes violentas do país. Foram 36,8 vítimas para cada 100 mil habitantes, de acordo com o índice criado pelo G1, em parceria com o Fórum Brasileiro de Segurança Pública e o Núcleo de Estudos da Violência da USP, baseado em dados dos 26 estados e do Distrito Federal.

No Decreto em que elogia chefe da Casa Militar, o governador diz que Bó, “no exercício da nobilíssima função” de Secretário de Estado Chefe da Casa Militar, foi agraciado com o título de Cidadão do Amazonas e agraciado com a Medalha ‘Ruy Araújo’, da Assembleia Legislativa do Amazonas. E determina que o elogio seja lançado na ficha funcional comandante, “para que sirva de exemplo aos demais, no permanente desafio da busca de melhores quadros e do aperfeiçoamento da nossa Polícia Militar”.

O Amazonas foi o estado que teve o maior aumento percentual no índice de mortes violentas, com um crescimento de 54% de 2020 para 2021. Considerando os crimes de homicídio, latrocínio e lesão corporal seguida de morte nesses dois anos, o total passou de 1.019 para 1.570, de acordo com o Monitor da Violência, iniciativa do G1 com o Núcleo de Estudos da Violência da USP (Universidade de São Paulo) e o Fórum Brasileiro de Segurança Pública.

Os dados divulgados pelo Monitor da Violência mostram que em 2020 no Amazonas foram registrados 954 homicídios dolosos. Em 2021, o número foi de 1.487. De acordo com os dados no site da Secretaria de Segurança do Estado (SSP-AM), dos 954 homicídios ocorridos em 2020 no estado, 657 foram em Manaus e 297 nos demais municípios. No interior, Tabatinga (a 1.106 quilômetros de Manaus), na tríplice fronteira entre Brasil, Colômbia e Peru, foi a que teve mais crimes desse tipo: 46 no total.

Já em 2021, dos 1.487 homicídios, foram contabilizadas 1.072 mortes violentas provocadas pelo crime em Manaus. No interior, 415.

Monitor da Violência: Amazonas supera índice nacional de crimes violentos com aumento de 54% em 2021

Clique para comentar

Faça um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

cinco + doze =