Conecte-se conosco

Amazonas

Com Covid, dirigente sindical volta a denunciar situação precária de trabalhadores da saúde no AM

Em plena terceira fase da pandemia, trabalhadores são obrigados com conviver com péssimas condições de trabalho

Nem na hora do descanso, os trabalhadores têm condições dignas para recompor a energia durante o combate à pandemia

Considerados linha de frente no combate à pandemia da Covid-19, pelo terceiro ano consecutivo, os profissionais da saúde lotados nas unidades públicas do Estado têm de conviver com as péssimas condições de trabalho, que vão desde má alimentação à falta de Equipamento de Proteção Individual (EPIs), conforme denuncia a presidente do Sindicato dos Trabalhadores em Santas Casas, Entidades Filantrópicas e Religiosas e Estabelecimentos de Saúde do Estado do Amazonas (Sindpriv-AM), Graciete Mouzinho.

A dirigente sindical denunciou nesta sexta-feira (14/01) que os trabalhadores lotados nos hospitais públicos do estado, em Manaus, passaram de heróis da saúde a vilões, sendo submetidos a condições insalubres de trabalho, com falta até de condições físicas na hora do conforto do trabalhador em saúde.

Ela relatou as condições da sala de conforto, do Hospital Dr. Geraldo da Rocha, bairro Colônia Antônio Aleixo, zona leste de Manaus, em que os trabalhadores têm de repousar em cima de colchonetes sem a mínima condição de uso e ainda em condições insalubres como a falta até de lençóis e ar-condicionado.

“Quando a gente começa a demandar as denúncias dos hospitais, os governantes são os primeiros a dizer que está sob controle e o Estado preparado para atender a população. Mas a realidade é outra. Os profissionais no local de trabalho estão submetidos a condições precárias de trabalho, sem até conforto para descanso. Colchões velhos, em situação precária, comida péssima , onde peixe estragado servindo aos profissionais”, denunciou a sindicalista.

Graciete Mouzinho apelou para os órgãos de controle e Fundação de Vigilância em Saúde do Amazonas (FVS) para que fiscalizem as condições de trabalho oferecidas as profissionais nos hospitais públicos. “Eu clamo aos órgãos públicos que vejam como os funcionários estão sendo tratados, em que condições eles trabalham. Profissionais infectados que não podem ser atendidos nos próprios locais de trabalho. Vigilância Sanitária vá para dentro dos hospitais fiscalizar a alimentação desse profissional, ver onde eles estão descansando”, disse a dirigente.

Preparado

O governador do Amazonas, Wilson Lima (PSC), disse na manhã desta quinta-feira (13/01), no lançamento de uma ação de vacinação no supermercado DB, no Manaus Plaza Shopping, que o estado está preparado para o atual cenário pandêmico de Covid-19 em Manaus. Segundo ele, o Amazonas, que já registrou mais de cinco mil novos casos apenas nos primeiros 12 dias de janeiro, não enfrenta uma terceira onda da doença.

“Eu não acredito que nós teremos uma terceira onda. Hoje, o estado está muito mais preparado juntamente com a prefeitura, e também comas prefeituras do interior e, hoje, é uma situação que a gente consegue manter sob controle. Nosso comitê de saúde, juntamente com a comissão de vigilância, tem se reunido diariamente para indo discutir os números e evolução dos números”.

O 18 Horas aguarda posicionamento da SES/AM.

Clique para comentar

Faça um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

dezoito − oito =