Conecte-se conosco

Amazonas

Aras e procuradores estarão no Amazonas acompanhar desdobramentos do caso Dom e Bruno

Representantes do MP devem chegar a Tabatinga neste domingo; há reuniões previstas com Exército, PF e Funai. Jornalista e indigenista foram assassinados em área marcada por disputas.

O procurador-geral da República, Augusto Aras, e membros do Ministério Público Federal viajam a Tabatinga, no Amazonas, neste domingo (19). O grupo deve participar de reuniões sobre a insegurança na Amazônia e, também, acompanhar os desdobramentos do assassinato do indigenista Bruno Pereira e do jornalista britânico Dom Phillips.

A Polícia Federal já confirmou que os restos mortais colhidos em uma área de mata cerrada na terra indígena do Vale do Javari, no oeste do Amazonas, são de Dom Phillips. A análise sobre o material de Bruno Pereira ainda não foi divulgada.

Além de Aras, devem integrar a comitiva a coordenadora da Câmara de Populações Indígenas e Comunidades Tradicionais, Eliana Torelly; o coordenador da Câmara Criminal do Ministério Público Federal, Carlos Frederico, e o procurador federal dos Direitos do Cidadão, Carlos Alberto Vilhena.

Segundo material divulgado pela PGR, o grupo quer “discutir medidas e ações de restruturação da atuação institucional na região amazônica, bem como ampliar a articulação do MPF com outros órgãos públicos com vistas ao combate à macrocriminalidade e ao enfrentamento de violações aos direitos indígenas, direitos humanos e outros crimes registrados na região”.

A motivação do crime ainda é incerta, mas a polícia apura se há relação com a atividade de pesca ilegal e tráfico de drogas na região. Segunda maior terra indígena do país, o Vale do Javari é palco de conflitos típicos da Amazônia: desmatamento e avanço do garimpo.

Clique para comentar

Faça um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

18 + 20 =