Conecte-se conosco

Amazonas

Amazonas tem mais pessoas com Auxílio Brasil do que empregados com carteira, informa site Poder360

Além do Amazonas, o Pará, Amapá e Acre, também tem maior quantidade de pessoas cadastradas no programa do governo federal do que empregadas.

O Amazonas está entre os estados do Brasil que possui mais beneficiários do Auxílio Brasil do que pessoas com emprego de carteira assinada. De acordo com o levantamento do site Poder 360, divulgado nesta quarta-feira, 13/4, são 28.262 pessoas a mais que recebem o dinheiro do governo federal, em comparação com os empregados com registro formal em carteira de trabalho.

Os dados divulgados demonstram que além do Amazonas, outros estados da região Norte – Pará, Amapá e Acre – tem maior quantidade de pessoas cadastradas no programa do governo federal do que trabalhadores formais. Os estados da região Nordeste dominam o número de beneficiários do Auxílio Brasil.

De acordo com o levantamento do site, o número de beneficiários do programa Auxílio Brasil é maior que o de empregos com carteira assinada (o que exclui setor público) em 12 das 27 Unidades da Federação. Os dados consideram os 41 milhões de trabalhadores formais que têm a carteira de trabalho assinada. Há, no entanto, um contingente grande de trabalhadores informais e/ou sem carteira assinada.

Um estudo recente do FGV Ibre mostra que o número de pessoas que trabalham por conta própria (portanto, sem carteira) chegou a 25,9 milhões no 4º trimestre de 2021.

O levantamento do Poder360 com dados de fevereiro de 2022 (os mais recentes até agora para o emprego) mostra que todos os Estados onde o número de beneficiários do Auxílio Brasil supera o de empregados com carteira estão nas regiões Norte e Nordeste. O Rio Grande do Norte é o único nordestino que registra mais empregos formais com carteira do que beneficiários do Auxílio Brasil –mas a diferença é mínima: 437.717 potiguares recebem o benefício e há 438.871 empregos com carteira assinada no Estado.

O Nordeste é a região onde Bolsonaro tem o pior desempenho nas pesquisas de intenção de votos. A região também deve ser a mais beneficiada por outras medidas do Renda e Oportunidade, pacote social de R$ 165 bilhões que o governo lançou neste ano.

+ BENEFÍCIOS

Antes da pandemia, eram 8 Estados com mais benefícios do que empregos formais. O número subiu para 10 Unidades da Federação em 2020 e, com o novo Auxílio Brasil, foi a 12.

Ao considerar o Brasil inteiro, houve aumento na proporção de benefícios em relação ao emprego formal. Em fevereiro de 2022, eram 18 milhões de beneficiários do Bolsa Família e 41 milhões de empregados com carteira de trabalho. O número de benefícios do Auxílio Brasil chegou ao inédito patamar de 44% dos empregos formais com carteira.

A alta se deu a partir da inclusão de 2,7 milhões de famílias no Auxílio Brasil em janeiro. Isso fez com que os benefícios chegassem ao maior percentual dos trabalhos com carteira da história. METODOLOGIA Uma mudança metodológica impede a comparação de dados novos de emprego formal com os anteriores a janeiro de 2020. O Poder360 fez o cálculo seguindo dados com os 2 métodos (antigo e novo). Pelas duas medidas, em nenhum momento anterior, o Bolsa Família chegou a 40% do número de empregos com carteira.

Clique para comentar

Faça um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

seis − seis =