Conecte-se conosco

Amazonas

Amazonas registra maior queda na produção industrial em janeiro, informa IBGE

Na comparação entre janeiro de 2022 e 2021, a queda da produção industrial no Amazonas foi de 4,1%.

Produção do Polo Industrial de Manaus contribuiu para os dados. (Foto:Divulgação)

A produção industrial recuou em dez dos 15 locais pesquisados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) na passagem de dezembro de 2021 para janeiro deste ano. A maior queda foi observada no Amazonas (13%), eliminando quase toda a expansão verificada em dezembro (14,3%). Na comparação entre janeiro de 2022 e 2021, a queda no Amazonas foi de 4,1%, com variação positiva de 7,1% nos últimos 12 meses.

A queda de 2,4% da produção industrial nacional na passagem de dezembro de 2021 para janeiro de 2022, na série com ajuste sazonal, teve perfil disseminado de taxas negativas, alcançando dez dos 15 locais pesquisados.

Com o Amazonas, Minas Gerais (-10,7%) e Pará (-9,8%) assinalaram os recuos mais acentuados.

Já na outra ponta, Mato Grosso (4,0%) e Espírito Santo (2,6%) mostraram os avanços mais elevados em janeiro frente a dezembro, com o primeiro marcando a quarta taxa positiva seguida e acumulando nesse período expansão de 37,6%; e o segundo registrando crescimento de 8,8% em dois meses consecutivos de expansão na produção. Bahia (1,2%), Santa Catarina (0,9%) e Rio Grande do Sul (0,8%) assinalaram os demais resultados positivos do mês.

Na média móvel trimestral, a indústria mostrou variação positiva de 0,1% no trimestre encerrado em janeiro de 2022, com sete dos 15 locais pesquisados apontando taxas positivas. Os avanços mais acentuados nessa comparação foram assinalados por Mato Grosso (8,4%), Espírito Santo (1,8%), São Paulo (1,1%), Goiás (1,0%) e Santa Catarina (0,9%). Por outro lado, Pará (-3,0%), Ceará (-2,6%), Pernambuco (-1,7%), Minas Gerais (-1,3%) e Amazonas (-0,9%) registraram os principais recuos.

Frente a janeiro de 2021, a indústria teve queda de 7,2% em janeiro de 2022, que foi acompanhada por 11 dos 15 locais pesquisados, sendo que janeiro de 2022 (21 dias) teve um dia útil a mais do que igual mês do ano anterior (20). Pará (-24,4%), Ceará (-24,3%), Pernambuco (-12,3%) e região Nordeste (-10,1%) assinalaram os recuos mais intensos. Minas Gerais (-9,8%), Santa Catarina (-9,7%) e São Paulo (-8,7%) também registraram taxas negativas acima da média nacional (-7,2%). E Rio Grande do Sul (-6,3%), Amazonas (-4,1%), Bahia (-3,9%) e Paraná (-3,7%) completaram o conjunto de índices negativos na comparação.

Clique para comentar

Faça um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

2 × 5 =