Conecte-se conosco

Amazonas

Amazonas registra aumento de 756% na média diárias de casos de Covid-19 e volta à fase laranja da pandemia

No último dia 23 de junho, o epidemiologista e cientista da Fiocruz Amazônia, Jesem Orellana, alertou sobre o aumento de novos casos. Em 11 dias de julho, Estado registrou mais 5.844 infectados.

O Amazonas voltou à fase laranja, risco moderado de transmissibilidade de Covid-19, após registrar um aumento em casos positivos e internações pelo vírus. A mudança foi anunciada nesta segunda-feira (11) pela Fundação de Vigilância em Saúde do Amazonas (FVS), 10 dias após o estado entrar na fase amarela. O Estado registrou 5.844 novos casos de Covid-19 nos primeiros 11 dias do mês de julho, sendo 3.643 em Manaus.

Conforme o boletim, nos últimos 14 dias (22/jun a 05/jul), houve um aumento de 756% na média diárias de casos de Covid-19 no estado, e no mesmo período foi observado aumento de 692% (de 39 para 309 casos) no número médio diário de casos registrado na capital, e aumento de 1033% (de 9 para 102 casos) no interior do estado.

No mesmo período, foi registrado um aumento da ocupação de leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) e leitos clínicos, nos hospitais públicos e privados, para pacientes infectados com a Covid-19. Ainda segundo a análise da FVS, de 22 de junho a 5 de julho a ocupação de leitos de UTI variou de 5 para 12, e houve um aumento de 10 para 57 em leitos clínicos.

Cientista anunciou

No último dia 23 de junho, o epidemiologista e cientista da Fiocruz Amazônia, Jesem Orellana, alertou sobre o aumento de novos casos e de internações por Covid-19 em Manaus e a incidência e vigência de uma quarta onda da pandemia na cidade, que se intensificou com as grandes aglomerações

Segundo Orellana, daqui em diante, qualquer medida à contenção da circulação viral, como uso obrigatório de máscaras em ambientes fechados e no transporte coletivo ou testagem em massa, por exemplo, servirão apenas como paliativos tardios e para dizer que algo está sendo feito, pois o número de infectados é novamente muito alto.

“É triste, mas não há qualquer preocupação na prevenção de cenários como este, que não apenas geram gastos evitáveis, mas disseminações virais desnecessárias, mortes evitáveis e novas chances para mutações potencialmente graves”, disse.

Segundo ele, tanto o Governo do Amazonas quanto a Prefeitura de Manaus seguem investindo “na frágil narrativa de que vacina sozinha faz milagre”. Como ambos estão certos da impunidade, diante da ineficaz gestão da epidemia, simplesmente contam doentes, mortos e sequelados pela Covid-19, sem qualquer preocupação com as consequências. O ideal seria retomar o uso obrigatório de máscaras, limitar grandes eventos e aumentar a testagem em massa e o correto acompanhamento dos infectados”, afirmou.

Clique para comentar

Faça um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

quinze − 2 =