Conecte-se conosco

Amazonas

Amazonas: após mais de 50 mortes nos presídios de Manaus governador pede socorro federal

o Sergio Moro vai enviar uma força de intervenção penitenciária ao Amazonas, o governador se comprometeu a fazer o pedido ainda hoje e a equipe federal de intervenção já está mobilizada para atuar no sistema prisional do amazonas.

Brasília – Portão principal do Complexo Penitenciário Anísio Jobim (Compaj), em Manaus (Marcelo Camargo/Agência Brasil)

Após a perda do controle do sistema prisional do Estado, que nesta semana já registrou mais de 25 mortes, o governador do Amazonas, Wilson Lima pediu socorro ao governo federal e ao ministro da Justiça, Sérgio Moro, segundo informou, nesta tarde, o site O Antagonista.

De acordo com o site, o Sergio Moro vai enviar uma força de intervenção penitenciária ao Amazonas, o governador se comprometeu a fazer o pedido ainda hoje e a equipe federal de intervenção já está mobilizada para atuar no sistema prisional do amazonas.

O número de assassinatos nas prisões, de domingo até a tarde desta segunda-feira chegou a 52, sendo 42 nesta segunda-feira. O governo ainda não divulgou os números oficiais.

Vinte e sete presos foram mortos apenas nesta segunda-feira (27), dentro do Instituto Penal Antônio Trindade (Ipat), em Manaus. A matança ocorre em um dia após o registro de 15 mortes em outra unidade prisional do Amazonas. O governo ainda não se pronunciou sobre o caso.

Em nota encaminhada no início da tarde, o governo afirmou, apenas, que foram registradas mortes em três presídios diferentes no estado: Ipat, Centro de Detenção Provisório de Manaus (CDPM) e Unidade Prisional do Puraquequara.

A Secretaria de Estado de Administração Penitenciária (Seap) afirma que, “neste momento, a situação está controlada e os presos estão na tranca”.

Quinze mortos no domingo

No domingo, uma confusão entre detentos do Compaj envolveu presos dos pavilhões 3 e 5 da unidade prisional, segundo informou o governo, com 15 mortes. A Seap comunicou que iniciou as investigações em relação ao ocorrido. A confusão teve início às 11h, no momento em que parentes faziam visitas.

Leia a íntegra da nota divulgada pelo Ministério da Justiça:

O Ministério da Justiça e Segurança Pública enviará uma Força-tarefa de Intervenção Penitenciária (FTIP) para atuar no Complexo Penitenciário Anísio Jobim, conforme solicitação do governo do Estado do Amazonas. O Departamento Penitenciário Nacional (Depen) aguarda a formalização do pedido mas já está tomando as providências para o deslocamento da equipe.

A FTIP, foi criada em janeiro de 2017. Na atual gestão, o Depen passou a coordenar, exclusivamente, a força-tarefa em apoio aos governos estaduais em situações extraordinárias de crise no sistema penitenciário para controlar distúrbios e resolver outros problemas.

Formada por agentes federais de execução penal dos 26 estados da federação e do Distrito Federal, a FTIP obedece o planejamento definido pelos entes envolvidos na operação, sempre que houver necessidade de sua atuação.

A Força Nacional de Segurança Pública (FNSP) é responsável pela segurança da área externa do Complexo Penitenciário Anísio Jobim desde 09 de janeiro de 2017. A FNSP continuará atuando no local.

Clique para comentar

Faça um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

12 + 18 =