Conecte-se conosco

Amazonas

Amazonas: agências terão R$ 68,7 milhões para propaganda do governo em 2020

Este ano, a Secom já empenhou R$ 61,8 milhões e pagou R$ 51,7 milhões, de acordo com os números no Portal da Transparência do Estado.

Após anunciar congelamento de salários do funcionalismo e atrasos no pagamento da folha do Estado de novembro e dezembro, a administração do governador do Amazonas, Wilson Lima (PSC), aumentou para R$ 68,7 milhões a verba para as empresas de publicidade e propaganda contratadas pela Secretaria de Comunicação (Secom), para o período de 21 novembro deste ano a 20 de novembro de 2020.

Os termos aditivos aos contratos de 2017 com a Mene e Portela, a Kintaw Design e a View 360, cada um no valor de R$ 22.916.666,67, foram publicado no Diário Oficial do Estado (DOE) da última terça-feira. Este ano, a Secom já empenhou R$ 61,8 milhões e pagou R$ 51,7 milhões, de acordo com os números no Portal da

Transparência do Estado.

A secretaria é responsável pela política de comunicação social do governo, incluindo o milionário mercado da publicidade institucional. Também coordena as campanhas publicitárias desenvolvidas pelas agências de publicidade licitadas para atender ao governo. Além de fazer o atendimento à imprensa local, regional e nacional.

Em maio, o governador Wilson Lima anunciou medidas de austeridade com a meta de economizar, no mínimo, R$ 50 milhões ao mês, alcançando ao menos R$ 600 milhões em um ano.

Em julho, sob protesto dos funcionários, a Assembleia Legislativa aprovou projeto do governador (Projeto de Lei 84/2019) que congelou o valor dos salários até 2021 e limitou o teto de gastos do Estado.

Em outubro, o governador publicou o Decreto 41.411 que atrasou o calendário de pagamento de salários de novembro para os dias 3 e 4 de dezembro, e os de dezembro para os dias 3 e 4 de janeiro de 2020. O funcionalismo vai passar as festa de fim de ano sem os salários de dezembro.

Os extratos dos termos aditivos com a prorrogação do prazo de vigência dos contratos informam que “o percentual devido para cada agência não pode ser inferior a 15% e não ultrapassar o máximo de 70% do montante efetivamente executado” pelas contratadas. E trazem os empenhos de R$ 695.624,62 para a View 360, R$ 200 mil para a Kintaw e R$ 1,7 milhão para a Mene e Portela.

Clique para comentar

Faça um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

seis + 9 =