Conecte-se conosco

Amazonas

AM: SSP registra novas mortes em presídio de Manaus nesta segunda

Em nota, a Secretaria de Segurança Pública do Amazonas (SSP) informou que detentos apareceram mortos por enforcamento, dentro de suas celas.

Novos assassinatos ocorreram hoje em três unidades prisionais de Manaus: Instituto Penal Antônio Trindade (Ipat), Centro de Detenção Provisória Masculina 1 (DPM 1) e Unidade Prisional do Puraquequara (UPP).

Em nota, a Secretaria de Segurança Pública do Amazonas (SSP) informou que detentos apareceram mortos por enforcamento, dentro de suas celas. Segundo a nota, neste momento, a situação está controlada e os presos estão nas celas. Todo o sistema prisional do Amazonas está em intervenção neste momento.
 
O Grupo de Intervenção Prisional da Polícia Militar, segundo o governo do Estado, está nas unidades, que agora passam por revistas e recontagem de presos. O número de mortos será informado em coletiva de imprensa, nesta tarde. Há informações extra-oficial de 16 mortos.

No último domingo, 15 presos foram assassinado durante a rebelião no Compaj.

Segundo o secretário, houve uma briga entre os internos, por volta das 11h, no horário das visitas. Ele disse que algumas mortes foram provocadas por asfixia e outras por ‘estocadas’, com material cortante e perfurante feito de escovas de dentes. Ele disse que não tinha informações sobre o motivo da briga entre os detentos e que não houve fugas ou reféns. Ele disse que imagens dos mortos circulando em redes sociais são ‘fake’.

Veja a nota de hoje da SSP

Seap e forças do Sistema de Segurança fazem intervenções em todo o sistema prisional.

A Secretaria de Administração Penitenciária (Seap), com apoio do sistema de segurança, está em intervenção em todo o sistema prisional neste momento. Em três unidades prisionais (IPAT, CDPM 1 e UPP), detentos apareceram mortos por enforcamento, dentro de suas celas. Neste momento, a situação está controlada e os presos estão na tranca.

O Grupo de Intervenção Prisional (GIP), companhia do Batalhão de Choque da Polícia Militar, está nas unidades, que agora passam por revista e recontagem de presos. A quantidade será informada após o término da revista nas unidades prisionais.

A Seap informa, ainda, que vai adotar medidas disciplinares nas unidades prisionais, à exemplo do que já fez no Compaj. Um novo inquérito será aberto para investigar os homicídios.

Clique para comentar

Faça um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

2 + quinze =