Conecte-se conosco

Amazonas

AM: Associação diz que Wilson Lima não pagou auxílio-fardamento a policiais militares

O recurso foi disponibilizado no contracheque dos servidores, em 2018, para a compra de duas peças de uniforme (calça e camisa), uniforme de instrução (para operações), uniforme de educação física e um de passeio.

A gestão do governador do Amazonas Wilson Lima (PSC) não pagou o auxílio-fardamento para os policiais militares do Estado em 2019. A informação foi dada nesta segunda-feira pelo presidente da Associação dos Praças (Apeam), Gerson Feitosa. O auxílio, de R$ 2.275,01, foi implantado pelo então governador Amazonino Mendes aos servidores da Polícia Militar (PMAM) e do Corpo de Bombeiros Militar do Amazonas (CBMAM), que, em 2018, que também tiveram aumento de 100% do valor do ticket alimentação, que passou de R$ 300 para R$ 600.

“Em 2019 o senhor Wilson Lima não pagou, só o auxílio-alimentação. O auxílio-fardamento ele não pagou, nem fez uma licitação para poder repor a farda. Então, o policial está desde 2018 sem auxílio-fardamento e sem ter como comprar farda”, disse Gerson Feitosa. Em 2018, o auxílio-fardamento foi pago em cota, em fevereiro, no valor equivalente a um soldo de soldado, de R$ 2.275,01.

Com a medida de Amazonino, o recurso foi disponibilizado no contracheque dos servidores, para a compra de duas peças de uniforme (calça e camisa), uniforme de instrução (para operações), uniforme de educação física e um de passeio. Foram R$ 11,1 milhões no total.

Enquanto não suspendi o benefício aos policiais militares, o governador Wilson Lima aumentou em até 225% os salários para o alto escalão de seu governo, pagou dois meses e o décimo terceiro, num total de cerca de R$ 5,4 milhões, e depois foi obrigado a revogar a decisão, sem, no entanto, devolver os recursos aos cofres públicos.

Clique para comentar

Faça um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

vinte + 13 =